ALEGRES VEGETARIANOS AVE LUZ CURA PLANETÁRIA INTERNET DE LUZ REDE SOCIAL RÁDIO

 

 

Conhecendo os Mestres Espirituais

Por Stephen Thomson

Uma das coisas maravilhosas do fato de estar vivo durante esse tempo é a quantidade de informação disponível sobre os Mestres Cósmicos e o papel que possuem na evolução espiritual da humanidade. Os Mestres Espirituais são a verdadeira fonte para aprender as leis do Universo e o regresso ao caminho de Deus. Seu papel é ajudar o planeta e a humanidade conforme avançamos de uma vida para a seguinte, até que alcancemos o auto-domínio e a liberação final da roda do carma. Eles nos esclarecem o caminho nos ensinando os passos que necessitamos dar rumo ao auto-domínio. Como um pai amoroso, os Mestres nos guiam através das provas da vida terrena e permanecem conosco entre as diferentes vidas. Quanto mais estudamos seus ensinamentos, quanto mais nos voltamos abertos e conscientes de sua presença, mais se convertem em uma força visceral e poderosa em nossas vidas.

Há uma hierarquia através da qual os Mestres operam e influenciam o universo e nosso mundo. Cada Mestre tem um trabalho para fazer e supervisionar o avanço da humanidade. Eles dirigem as escolas espirituais que existem no mundo invisível e influenciam as contrapartidas dessas salas de aprendizagem no plano terreno. Por exemplo, os Mestres têm a responsabilidade de supervisionar cada uma das instituições religiosas organizadas e as disciplinas espirituais. Depois da morte de nosso corpo físico, nós residimos entre as vidas na freqüência de energia que corresponde com as crenças espirituais que tivemos quando estávamos vivos. Nosso trabalho espiritual que começou na terra continua entre as vidas sob a direção do mesmo Mestre.

O modo como podemos nos fazer consciente de nossa conexão pessoal com o Mestre pode variar. Em parte, dependemos de nosso carma, o trabalho que fizemos em outras vidas e da nossa motivação para um conhecimento de primeira mão do Mestre nesta encarnação presente. Alguns de nós chegarão a conhecer as “vozes” do Mestre através dos impulsos de nosso ser superior. Esta é a voz que todos temos e que nos dirige em nosso sentido de bem ou mal, conforme abrimos caminho através do mundo material. Do ponto de vista espiritual, a voz de nosso ser superior é nosso pacificador espiritual pessoal. É o impulso que temos para estudar com um mestre espiritual ou tomar certas práticas espirituais, como a meditação por exemplo. O segundo caminho pelo qual podemos chegar a conhecer o Mestre é através de uma transferência de pensamento direta do Mestre para nós. Conforme abrimos os canais de comunicação, podemos começar a receber respostas diretas às perguntas espirituais que temos perguntado. Ou um Mestre pode se fazer presente fisicamente e podemos percebê-lo através de nossos sentidos psíquicos.

Um dia quando estava ao final de meus trinta, estava em meu período diário de meditação quando comecei a “ver” dois grandes olhos me observando. Em meu usual estilo irreverente, recordo de ter perguntado de forma abrupta “quem é você?” Demorei vários meses e uns poucos contatos mais para me dar conta de que este tipo de contato eu que havia fabricado. Em um nível de ego havia uma grande dose de falta de crença de minha parte de poder ter uma conexão com meu Mestre. Afortunadamente para mim, este Mestre em particular se manteve apesar de minhas dúvidas e veio para mim outras vezes até que finalmente aprendi quem era. Ao compartilhar esta história com muitas pessoas através dos anos, conheci muitas pessoas que contataram com o mesmo Mestre. Este tipo de aproximação e contato pessoal é o que deveria esperar-se de cada um de nós.

Todos nós experimentamos os ensinamentos dos Mestres através de transmissões diretas. Baseados em nossas práticas espirituais e na natureza de nossa alma, voltamos conscientes dessa operação espiritual tendo lugar dentro de nós de diferentes formas. Conforme nosso progresso podemos crer que uma mudança de consciência que chega com o influxo de conhecimento universal é para nós. Nosso ego quer ser escutado e pode insistir em que estamos prontos ou que somos superiores de alguma maneira e que a fonte do novo conhecimento espiritual está de alguma maneira embasada somente em nossas ações. Outra forma de experimentar os Mestres é pelo conhecimento transmitido até nós e recebido no nível de alma. O que recebemos chega a nossa consciência através de nosso ser superior. Esta é a parte de nós que sabemos que contém a nossa verdade – uma verdade que ressona em um nível tão profundo que nem sequer questionamos a validade do recebemos e do que sabemos.

Nos últimos cem anos, existiram muitos Mestres que elegeram a encarnação terrena para servir à humanidade. Seu legado de serviço e o conteúdo de seus ensinamentos estão disponíveis para todos. Diferentemente da Bíblia que tem uma origem questionável e certa edição, os ensinamentos de Paramahansa Yoganada, por exemplo, seguem existindo como documentos de sua missão de vida e de sua mensagem. Através de seus escritos temos a oportunidade de estudar os ensinamentos de um Mestre que inclui técnicas que ele ensinou para iluminação, o Kriya Yoga. Começar a estudar os ensinamentos de um Mestre, leva nossas vidas a um lugar de aprendizagem do conhecimento tradicional entregado através das eras para nos levar ao caminho da iluminação.

Também existiram pessoas como H.P. Blavatsky e Alice Bailey que tinham uma conexão direta e duradoura com um Mestre. No caso de Bailey, ela se converteu em escritora de um Mestre que se descreveu como o Tibetano. Por muitos anos através de uma série livros, Bailey documentou os ensinamentos que lhe foram transmitidos telepaticamente pelo Tibetano. Ainda que tenham existido especulações sobre quem era o Tibetano, muitos pensam que era o Mestre K.H.  Blavatsky que viajou para a Índia e estudou com o Mestre Koot Hoomi, considerado o Mestre do “Segundo Raio da Sabedoria” pelos Teosofistas. O que pode parecer como milagre nestes exemplos pode não ser tão inusual. Sempre haverá pessoas que podem parecer “ordinárias”, caminhando pelo planeta com uma linha aberta de comunicação com os Mestres. Seu ego pode impedi-los de sair em público e dizer ao mundo inteiro da conexão. Enquanto em outros casos é um dever espiritual em nome de toda a humanidade fazer que as pessoas se conscientizem desse tipo de conexão. Ainda que tendamos a pensar nesse tipo de exemplo como único e misterioso, talvez, inclusive, místico, a verdade é que os Mestres estão sempre trabalhando pelo nosso planeta.

Outro exemplo de um Mestre vivo é Babaji, que vive no Himalaia. Diz-se que ele conquistou a morte e alcançou o estado avançado de iluminação. Quem viu Babaji diz que seu corpo parece ser de uma pessoa de dezesseis anos. Diz-se que está vivo desde a era pré-Cristo até o presente. Diz-se que o simples fato de dizer o nome Babaji três vezes dá uma benção espiritual.

 

Contato com os Mestres Espirituais

 

 

O nível ou grau a que aspiramos manter contato com os Mestres no final se torna uma questão pessoal. Por que desejaríamos um contato com os Mestres? A maioria de nós daria boas vindas à oportunidade de conhecer os verdadeiros funcionamentos do Universo, livres das limitações de nossa mente consciente. Imaginem ser capazes de acessar a informação pura que representa o plano Divino e as leis sob as quais operamos através de nossas vidas conhecidas como a Lei Cósmica. A maioria das emoções associadas com a vida cotidiana imediatamente desapareceria na fase de conhecer a verdade sobre nossas vidas e do mundo em que vivemos. Talvez haja uma razão mais importante para a busca dessa parte do caminho. Quando evoluímos como almas individuais todo o universo é afetado porque estamos conectados com o Um.

Há algo muito sólido sobre saber que há uma estrutura e uma hierarquia no mundo invisível, assim como no plano da terra. A idéia de organização e uma abordagem organizada de nosso caminho espiritual são do que trata o misticismo. No lugar de sentir que estamos nos movendo através do mundo, sozinhos e sem propósito, pode ser um sentimento esmagador que nos faça sentir tão poderosos e confiantes no que estamos criando. Se fizermos com que nossa mente se organize de alguma maneira enquanto nos aproximamos de nosso caminho e incluímos a idéia dos Mestres e seus ensinamentos, o pensamento pode nos enviar bênçãos.

Talvez necessitemos examinar nossas crenças sobre os Mestres e o que eles significam pessoalmente em nossas vidas. Há somente um nível de compreensão que chega através dos escritos daqueles que tiveram um contato direto e compartilharam suas experiências. Mas, o que significam estas poderosas fontes em nossas próprias vidas? Invocá-las de alguma maneira, seja rezando ou como uma parte ativa de meditação, tem alguma base nas necessidades de nosso ego. Isso não é correto nem incorreto. Necessitamos das partes do ego que representam nosso ser superior e essa energia que se converte na fonte de nossa busca espiritual. São os Mestres a fonte de inspiração que dão continuidade a nossa viagem nos tempos ofuscados pela experiência humana?

Nosso caminho se abre diante de nós baseado no que somos capazes de conceber e receber. Em outras palavras, se podemos imaginar a nós mesmos tendo contato com os Mestres, então somos capazes de fazê-lo. Pode não ser na sequência sugerida nos escritos de Alice Bailey, por exemplo, mas sim no tempo de nossas próprias crenças. Isso significa chamar os Mestres, esperar que eles respondam e sermos decididos em sustentar nossos pensamentos e crenças. Embora as fórmulas espirituais existam para criar e aprofundar essa conexão, nosso caminho é pessoal para nós e para vibração de nosso corpo. O caminho espiritual se trata de compreender a dinâmica criativa de quem somos como uma expressão individualizada do Divino.

Aqui há uma sugestão para desenvolver sua sintonização com os Mestres. Trabalhem com a técnica todos os dias durante duas semanas:

1.      Comece aquietando sua mente e relaxando seu corpo.

2.     Passe algum tempo pensando sobre sua vida e sobre a pessoa espiritual que aspira ser.

3.     Comece a mudar seu pensamento de estar auto-centrado, pensando e convidando a energia Universal a estar dentro de você e a sua volta.

4.     Imagine sua mente abrindo-se e sendo receptiva aos pensamentos dos Mestres.

5.     Mova sua consciência para a energia que sua mente concebe como pensamentos do reino dos Mestres.

6.     Abra seu coração e permita que os pensamentos dos Mestres estejam presentes na sua mente.

7.     Dê a luz a uma nova relação em sua vida, entre você e os Mestres. Conforme desenhe um Mestre “real” para você, ele ou ela lhe mostrará sua singularidade, separada do que é você.

Depois de cada sintonização, escreva em um diário cada pensamento ou impressão que receber. Pense nos Mestres como um pai amoroso e comece a quantificar e qualificar suas experiências em termos de experiência e relação terrena.

Se tiver algum comentário ou pergunta, por favor, me envie um correio eletrônico para steves@stephenthomson.net .

 

 

Do site www.spiritoofmaat.com

Link: http://spiritofmaat.com/spanish/may10/spiritual_masters.html